Ter, 30 de Junho de 2020 13:03

Exigências fazem de comandar o MEC uma tarefa quase divina, diz Heleno

Doutorado é apenas um detalhe... Doutorado é apenas um detalhe...


Ministro do GSI cita "competência, experiência, dedicação, honestidade de propósitos, retidão, equilíbrio, diálogo e flexibilidade como exigências

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, está espantado com a dificuldade para a escolha do ministro da Educação. Ocupar a titularidade do MEC, disse Heleno a esta coluna, é tarefa para um ser quase divinal. “Exige competência, inteligência, experiência, dedicação, honestidade de propósitos, retidão, entusiasmo, equilíbrio, diálogo, flexibilidade etc, etc”, afirmou ele com ironia. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Heleno avalia que um ministro da Educação é especial porque lida com dois vetores primordiais em qualquer sociedade: professor e aluno.

Por tudo isso, Augusto Heleno diz com certa dose de ironia que ser titular do MEC, no mundo de hoje, “é tarefa quase divina“.

NotíciasRelacionadas

Decotelli ‘balança’ e doutores fazem fila no MEC

 

De fato, não precisa ser santo para virar ministro da Educação, mas não mentir sobre o próprio currículo seria um bom começo.

 




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box